Glossário

 ABS: Terpolímero amorfo de acrilonitrila-butadieno-estireno

Agente de Expansão: Aditivo utilizado para gerar gás no momento da fusão do plástico. São fundamentais para a fabricação de espumas, isopor, etc.

Bico de Injeção: Peça cilíndrica e oca, geralmente apresentando extremidade externa em forma de esfera, por onde passa o termoplástico ao ser injetado desde o canhão para dentro do molde.

Bucha de Injeção: Faz parte de um molde de injeção, estando em contato com o bico de injeção. O plástico fundido que preencherá o molde sai do bico de injeção e flui através dele.

Calandragem: Processo de transformação de plásticos semelhante à laminação de metais. A resina, na forma de massa ou chapas espessas, é conformada através da passagem através de rolos altamente polidos, aquecidos e sob grande pressão. É ideal para a produção de produtos planos, tais como filmes, encerados, cortinas, chapas para pisos, etc.

Canhão: Componente da injetora e extrusora. Trata-se de um duto por onde passa o plástico a ser fundido e plastificado.

Cargas de Reforço: Aditivos usados com o objetivo de aumentar a resistência mecânica do plástico.

Cavidade: Espaço oco em um molde, onde se introduz o plástico fundido.

Cilindro de Injeção: 1. Cilindro hidráulico, posicionado na parte posterior do canhão, que empurra a rosca para a frente por ocasião da injeção. 2. Em alguns casos pode ser sinônimo de canhão. Contudo, para evitar confusão, não se recomenda usar esta palavra com este significado.

Coinjeção (com gás): Processo especial onde se injeta gás durante a injeção de plásticos. Nesse caso, a pressão exercida sobre a peça durante seu resfriamento é feita através da co-injeção de gás, ao invés de se adicionar mais plástico fundido.

Deformação: Variação no comprimento que um corpo experimenta quando tracionado em uma direção por ação de uma força.

Dosagem: Medição das quantidades dos diversos componentes da mistura de plástico e seus respectivos aditivos (formulação).

Elastômero: Polímero que apresenta alta elasticidade, ou seja, apresenta alta deformação sob carga, retomando seu formato original após ela ter sido aliviada. A exemplo dos termorrígidos, os elastômeros não se fundem e não se dissolvem totalmente em solventes

Estabilizantes: Aditivos químicos que tornam os plásticos resistentes à ação nefasta da radi-ação ultra-violeta, radioatividade, calor, oxidação e intempéries

Extrusão: Processo de fabricação de um semi-manufaturado contínuo de plástico ou elastômero. Ele ocorre em extrusoras, equipamento que é constituído basicamente de um tubo contendo um parafuso rosqueado. O plástico, em pó ou grânulos, é alimentado na parte traseira do tubo, sendo conduzido para a parte frontal do tubo pela rosca em rotação. Durante esse percurso, o plástico é aquecido por ação de resistências elétricas e do atrito com o parafuso. No final do percurso, o plástico deverá estar totalmente plastificado, sendo então comprimido contra uma matriz que conterá o desenho do perfil a ser aplicado ao plástico. Ao sair, o semi-manufaturado é resfriado e bobinado. Ideal para a fabricação de tubos, filmes, placas, perfis, etc.

Extrusora: Equipamento semelhante a um moedor de carne, utilizado na extrusão de plásticos.

Força de Fechamento: Força exercida pelo conjunto cilindro de injeção/rosca sobre a peça de plástico que está se solidificando dentro do molde de uma injetora, garantindo sua alimentação com material adicional enquanto ela se contrai em função da solidificação e resfriamento.

Injetora: Equipamento utilizado no processo de injeção dos plásticos.

Matriz: Componente da extrusora que confere o formato final ao semi-manufaturado de plástico.

Módulo de Elasticidade: Relação constante entre tensão e deformação na faixa elástica de um material.

Molde: Forma oca, bipartida, cujo interior contém a geometria da peça que se deseja produzir.

PC: Policarbonato.

PE: Polietileno.

PEAD: Polietileno de Alta Densidade.

PEBD: Polietileno de Baixa Densidade.

PEBDL: Polietileno Baixa Densidade Linear.

Peso Máximo de Injeção: Peso máximo de plástico que pode ser injetado em um só ciclo numa injetora. Normalmente adota-se o PS como padrão para se expressar esse parâmetro, uma vez que ele depende do plástico que está sendo processado.

PET: Polietileno tereftalato.

Pino Ejetor: Pino que tem por objetivo desmoldar a peça de plástico injetada.

Plástico: Uma subdivisão dos polímeros. Trata-se de uma classe de materiais que apresentam grande facilidade de assumir qualquer formato. São geralmente sintéticos, apresentando moléculas de grande tamanho a base de carbono. Apresentam grande variedade de propriedades mecânicas e físicas.

Plastificação: 1. Em formulação de polímeros, consiste na adição de agentes plastificantes a ele, com o objetivo de torná-lo flexível. 2. Na transformação de polímeros envolvendo sua fusão (extrusão, injeção…) é o processo de fusão de um plástico através de introdução de calor, de forma direta ou por atrito interno.

Plastificante: Aditivo que tem por objetivo tornar o polímero mais flexível. Usado principalmente para formulações de PVC e borracha.

PMMA: Polimetalmetacrilato (Acrílico).

Ponto de Imobilização: Instante em que o polímero fundido num canal se resfria abaixo de uma certa temperatura, tendo seu escoamento interrompido.

Ponto de Injeção: Região da superfície da cavidade por onde será introduzido o plástico fundido.

PP: Polipropileno.

Pré-Forma: Semi-manufaturado de plástico específico para operações posteriores de moldagem por sopro.

Pressão Específica de Injeção: Pressão que o parafuso imprime no material dentro do molde durante o processo de injeção de plásticos

Pressão de Recalque: Pressão aplicada durante a solidificação de uma peça que está sendo injetada. Dessa maneira, a contração volumétrica da peça injetada (similar ao “rechupe” observado na solidificação dos metais) é compensada durante o resfriamento, obtendo-se uma peça com formato perfeito e com estrutura compactada.

PS: Poliestireno.

PVC: Policloreto de vinila.

Reciclagem: Reaproveitamento de materiais, como plásticos.

Retardadores de Chama: Aditivo que torna o polímero auto-extinguível, ou seja, ele só entrará em combustão na presença de uma chama externa.

Rotomoldagem: Variante do processo de vazamento. Este processo é indicado para peças ocas que devam apresentar espessura de parede uniforme, como é o caso de bolas de PVC, por exemplo. Neste caso, durante o vazamento o material viscoso é submetido a movimentação dentro dos moldes, em máquinas próprias.

Semi-Manufaturado: Produto intermediário de plástico (por exemplo, tubos e placas) que ainda serão processados (moldados) em produto final.

Sistema de Alimentação com Câmara Quente: Usado em injetoras. Neste caso, o sistema de alimentação de plástico fundido para o molde permanece sempre aquecido, mantendo o material pronto para ser injetado. Nas máquinas antigas, desprovidas deste sistema, o plástico fundido contido nos sistemas de alimentação se solidificava junto com a peça e tinha de ser descartado, gerando refugo desnecessariamente.

Sistema de Fechamento e Abertura do Molde: Sistema mecânico, normalmente com acionamento hidráulico, que movimenta as partes do molde. Ao fechá-lo, permite a injeção de plástico em seu interior. Ao se aberto, permite a remoção da peça pronta.

Sopradora: Equipamento que permite a transformação de plásticos através do processo de sopro.

Sopro: Processo de transformação de plásticos utilizados na fabricação de produtos vazados. Consiste na extrusão ou injeção de um tubo semi-manufaturado (parison), que a seguir é envolvido por um molde e soprado. Ideal para a fabricação de garrafas, embalagens, bóias, tanques de combustível, etc.

Temperatura de Degradação: Temperatura acima da qual as cadeias do polímero começam a se desagregar. Note-se que esses materiais não existem no estado gasoso.

Temperatura de Escoamento: Temperatura mínima acima da qual o termoplástico é transformável através de aplicação de uma força mínima.

Temperatura de Transição Vítrea (Tg ou Tv): Temperatura abaixo da qual o termoplástico se torna frágil, não resistindo a choques.

Tempo de Ciclo: Somatório de todos os tempos de processo necessários para a produção de uma peça de plástico pelo processo de injeção.

Termoestabilizante: Aditivo que tem por objetivo minimizar ou eliminar o efeito danoso de altas temperaturas sobre o plástico, principalmente durante sua fusão durante a transformação.

Termoplástico: Polímero que pode ser fundido e se dissolve em alguns solventes

Termorrígido: Polímero que se caracteriza por não se fundir, transformando-se em pó (fuligem) ao ser aquecido acima de determinada temperatura. Também não se dissolve em solventes.

Torpedo: 1. Componente da matriz de uma extrusora utilizada para a fabricação de tubos. Sua função é guiar o fluxo de plástico fundido de forma a gerar um anel na seção transversal do tubo. Sua construção provoca defeitos no tubo, na forma de riscos longitudinais que enfraquecem o material. 2. Componente de injetoras antigas, nas quais não haviam roscas. Sua função era promover a plastificação do polímero a ser injetado. Ele restringe o fluxo do plástico fundido dentro do canhão, intensificando seu contato com as paredes aquecidas do canhão. Em alguns casos, o próprio torpedo era aquecido para agilizar ainda mais esse processo.

Vazamento: Também conhecido como casting. É um processo de moldagem simples que consiste em verter, isto é, vazar no molde o polímero, na forma de uma solução viscosa de polímero em seu monômero. Após o término do vazamento ocorre a polimerização final do monômero.

Velocidade de Injeção: Volume de plástico descarregado por segundo através do bico de injeção durante um ciclo normal de injeção. Ele depende do plástico que está sendo processado, da pressão de injeção, temperatura, formato do molde e seu sistema de alimentação, etc.

Volume Máximo de Injeção: É o volume máximo de plástico que uma injetora pode injetar num ciclo.

Zona de Alimentação: É a região posterior do canhão de uma injetora ou extrusora, onde o plástico a ser injetado é recolhido do reservatório de matéria prima (funil) pela rosca e encaminhado para a zona de transformação.

Zona de Transformação: Porção do canhão de uma extrusora ou injetora, imediatamente a frente da zona de alimentação, onde ocorre a plastificação do polímero.